2 de abril de 2012

Poesia numa monótona Segunda

Hey!

Para mim,não há nada melhor do que acordar cedo e bem disposta,(mas tem gente que não gosta de fazer isso nenhum dia da semana)a parte boa disso é o tempo disponível para fazer mais coisas no dia,claro que deve ser acompanhada de uma boa noite do sono,se não vai ser horrível passar o dia todo meio sonolenta,mas hoje é uma segunda diferente das recentes e isso me deixa feliz em pensar que o resto da semana vai ser cada vez melhor,e que meus sentimentos parecem estar em paz,não tão confusos quanto às vezes eles se mostram para mim,e o poema que eu escolhi hoje retrata as diversidades dos sentimentos,como são volúveis mas que mesmo desse modo,são apreciados em toda sua existência.

Soneto do maior amor


Maior amor nem mais estranho existe
Que o meu,que não sossega a coisa amada
E quando a sente sente alegre,fica triste
E se a vê descontente,dá risada.

E que só fica em paz se lhe resiste
O amado coração,e que se agrada
Mias da eterna aventura em que persiste
Que de uma vida mal-aventurada

Louco amor meu,que quando toca,fere
E quando febre vibra,mas prefere
Ferir a fenecer - e vive a esmo

Fiel à sua lei de cada instante
Desassombrado,doido,delirante
Numa paixão de tudo e de si mesmo.

Vinícius de Moraes,Oxford,1938

Love,kisses &rockets
da Mandy

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.