18 de junho de 2012

Poesia numa monótona Segunda

Hey!

E mais uma semana começa,e pra variar um pouco cansativa e com aquele rastro de um domingo deixado para trás,e como todo bom começo de semana,ele vem lento e atolado,meio fora de ritmo mas aos poucos vai pegando o jeito e entrando nos eixos de novo;o poema que escolhi para hoje é de extrema delicadeza,e assim que o li já imaginei toda uma história por trás do mesmo,gosto quando isso acontece,quem sabe ele me ajude de alguma forma como inspiração.
Como nascem as manhãs


O fundo dos olhos da noite
guarda silêncios.
Esconde na retina
a menina que corre descalça em campo aberto.
Pálpebras cerradas,a noite emudece.
A menina com medo
faz um furo no escuro com a ponta do dedo.
Cai um pingo de luz.
Amanhece.

Flora Figueiredo

Love,kisses & rockets
da Mandy

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.