10 de junho de 2015

A cor do leite - Nell Leyshon

Hey!

A resenha de hoje é sobre um livro devastador, intenso e muito bonito, sua história e escrita de forma simples, mas ao mesmo tempo profunda e crua.

Um livro delicado e muito emocionante.



O livro conta a história de Mary, uma garota simples que mora no interior com sua família em uma fazenda, o pai é o tipico fazendeiro grosseiro e "ignorante", a mãe submissa, o avô se destaca por ser engraçado e sincero, ela e suas irmãs sofrem nas mãos do pai que as obriga a fazer os mais diversos serviços pesados na fazenda; Mary nasceu com uma deficiência na perna mas isso não a exclui de fazer os serviços como as irmãs. Um dia o pai leva Mary até a casa do pastor da cidade, sua esposa doente precisa de ajuda e como Mary tem certas dificuldades nos trabalhos mais pesados da fazenda, o pai resolve entrega-la aos cuidados do pastor e da esposa; Mary logo desenvolve uma relação de carinho pela esposa do pastor e ali começa a aprender a ler e escrever, possibilitando assim que conte sua triste história.


"e se eu pudesse parar o tempo eu pararia e ficaria naquele exato momento pelo resto da minha vida e para sempre.
mas um momento não dura para sempre." pág 50


O livro se divide em estações do ano, começando e terminando em duas primaveras, e no período de um ano acompanhamos a vida de Mary, sua família e seu novo "lar"; no começo é difícil para Mary se separar de suas irmãs e o avô que ela adora tanto, e ela chega até a fugir para vê-los, mas conforme o tempo passa ela começa a se adaptar cada vez mais a nova casa, e lá passa a aprender muitas coisas, algumas boas e outras nem tanto assim. Achei a escrita da autora excepcional, o livro é narrado em primeira pessoa e vemos de forma crua e simples o ponto de vista de uma garota pouco instruída, mas que tem uma percepção de mundo que evolui a cada página da história.




"o senhor não tem ninguém para contas as coisas, eu respondi, porque é pro senhor que todo mundo conta tudo.
ele concordou. claro, você está certa.
não é a mesma coisa sem ela, eu falei.
não." pág 141

Mary é uma personagem forte e corajosa, e apesar de suas limitações físicas e intelectuais, não se deixa abater pelas dificuldades da vida, aprende da pior forma possível que as falhas humanas não se limitam as classes baixas, e que o abuso do poder patriarcal pode vir de faces gentis e mãos caridosas. A sinceridade de Mary é chocante e ao mesmo tempo toca fundo no coração, os sentimentos que ela passa em suas palavras simples parecem não caber dentro de poucas páginas.

Essa leitura é sincera e chocante, a autora soube conduzir a leitura que começa de uma forma leve e vai se tornando cada vez mais densa conforme a personagem aprende e descobre o lado sujo do ser humano. Com um final surpreendente e chocante esse livro tem uma narrativa inesquecível e tocante, dura e ao mesmo tempo emocionante em todos os aspectos.


"e eu li.
bíblia.bíblia, ele repetiu, muito bem. sua primeira palavra.
então eu consigo ler uma palavra?
consegue sim.
ah." pág 143





ISBN: 9788528615814
Ano: 2014
Páginas: 208
Editora: Bertrand Brasil
Nota: 5/5

Sobre a autora
Nell Leyshon nasceu em Glastonbury e vive atualmente em Dorset, na Inglaterra. É romancista e dramaturga. Seu primeiro romance, Black Dirt, publicado em 2004, foi indicado ao Orange Prize e ficou entre os finalistas do Commonwealth Book Prize. Entre suas peças, estão Comfort me with Apples, que ganhou o Evening Santard Award, e Bedlam, que em 2010 fez com que se tornasse a primeira mulher a escrever uma peça para o Shakespeare's Globe, um programa internacional de incentivo à disseminação da obra de Shakespeare.





Love,kisses & rockets
Créditos das imagens
Fotografia e edição por Amanda Prado 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.