30 de agosto de 2015

Mulherzinhas (Little Women) - Louisa May Alcott

Olá,
Hoje escolhi um livro diferente, que não está tão presente na mídia. Mulherzinhas de Louisa May Alcott. O título não faz jus ao livro, pequenas mulheres ou alguma tradução similar teria uma sonoridade melhor no nosso português. Esta obra é de época, escrita em 1868, e nos mostra um retrato de uma família americana, seus sonhos, costumes e medos.

Nessa família, temos o Sr. March - que aparece muito pouco no livro, pois está lutando na guerra. A senhora March - a grande matriarca, as filhas Meg, Jo, Beth e Amy e a empregada Hannah. 

A minha edição foi impressa em Portugal, no entanto a linguagem é bem fácil de entender, com apenas algumas palavras diferentes do nosso português brasileiro. E essa edição é ilustrada como pequenos desenhos que nos transportam para muitos anos no passado.


Margaret, a mais velha das quatro irmãs, tinha dezesseis anos, era muito bonita, rechonchuda e de pele clara ... Jo tinha quinze anos e era alta, magra e morena e recordava um potro, ja que nunca sabia o que fazer com os seus longos membros ... Elizabeth ou Beth, como todos a chamavam, era uma rapariga rosada, de cabelos macios e olhos brilhantes de treze anos ... Amy, apesar de ser a mais nova, era a mais importante, pelo menos na sua opinião. Uma autêntica donzela da neve ...



Com o desenrolar da história, as meninas padecem com seus pecados. Fica nítido no texto que para cada má ação há um consequência ruim. Mas a senhora March sempre está por perto para lhes mostrar o caminho certo. 

É uma literatura que às vezes irrita pelo comportamento das personagens, mas temos que levar em conta que a narrativa se passa em um tempo anterior ao nosso e por justamente por causar conflito nos leva a refletir sobre o papel da mulher ontem e hoje.

Acho sinceramente, que deviam ter juízo as duas - disse Meg, começando o típico raspanete de irmã mais velha - Tu já tens idade para deixares dessas maneiras de maria-rapaz, Josephine. Quando era mais nova não tinham importância, mas agora que estás alta e já apanhas o cabelo devias lembrar-te que és uma menina de bem.

ISBN: 9789728996741
Ano: 2011
Páginas: 287
Tradução: Fernanda Palmeirim
Ilustrações: Frank T. Merril
Editora: Sicidea


Sobre a autora: 
Louisa May Alcott foi uma escritora norte americana, que se dedicou principalmente à literatura juvenil. Foi educada pelo pai, o filósofo e educador Amos Bronson Alcott, tendo a oportunidade de conviver com intelectuais como Thoreau e Emerson. Louise sonhava ser atriz, mas tornou-se escritora. Inspirou-se nas próprias experiências para escrever suas histórias. Mulherzinhas (1868), seu romance mais famoso, apresenta o retrato de uma família de classe média estadunidense do seu tempo, salientado os seus valores morais: civismo e amor à pátria (que chega ao sacrifício de seus filhos) e dedicação extrema ao lar e ao próximo. Este romance foi transformado em filmes para cinema, tv e séries muitas vezes. 







Love, kisses & rockets
Créditos das imagens:
Ju Albuquerque |Skoob

Um comentário:

  1. Realmente a tradução do título poderia ser melhor. Afinal, o sufixo "inha" muitas vezes tem uma conotação ruim.
    Quanto à premissa, acho que leria o livro. Provavelmente a obra não me agradaria completamente, mas como gosto de observar as funções sociais nos diferentes momentos históricos, esse aspecto deve me agradar.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.