1 de novembro de 2015

Lágrimas de Emmeline - Gabriella Regina

Mais uma resenha nacional!!! Descobri esse livro totalmente gratuito na Amazon. Baixei de imediato!
Nunca havia ouvido falar nem da obra tão menos da autora. Assim, imaginei que seria um drama daqueles bem florzinhas sabem?
E estava redondamente enganada.
Logo nas primeiras páginas, a autora alerta que teremos um caso de abuso sexual na infância e adolescência. Já sofremos um impacto somente com o aviso.

Lágrimas de Emmeline
No enredo acompanhamos a vida de Emmeline. Em nosso primeiro contato, ela tem apenas sete anos. Somos apresentados à sua rotina tão comum. Uma vida feliz, digna de qualquer criança.
“Tio Billy” é irmão de sua mãe, e nutre um amor incondicional pela pequena. É super paciente, brincalhão, e faz de tudo por ela. Claro que a garota sente todo esse amor, e o corresponde com muito zelo.
Sabia do tema “abuso sexual”, então já suspeitei de imediato de “Tio Billy” e até mesmo do pai de Emmeline. Num passeio à praia, constatamos então que o amor que o tio tinha pela menina, era o mais monstruoso que pode existir.

“Tio Billy nunca havia encostado naquele lugar. Surpreendentemente, ela percebeu que Tio Billy não notou que sua mão estava num lugar que não podia. Eu devo estar suja, ela constatou. Ele deve estar me limpando. Mamãe faz isso.” – posição 190

A autora, em poucas páginas, consegue nos passar como era o relacionamento de Emmeline com sua família e, claro, com o tio. Não fosse eu já saber do tema, jamais iria levantar minhas suspeitas justo com o cara. Poderia jurar que ele seria o protetor, e nunca o estuprador.
E temos uma novidade: geralmente, nos livros que tratam o tema, lemos os relatos do que se passa na cabeça do agressor ou da vítima tempos depois do que aconteceu. Neste livro, sabemos o que a vítima pensa e sente no momento do abuso. Outro ponto que merece ênfase é que Tio Billy, fisicamente não é monstruoso. É um homem bonito e charmoso, que não aparenta ter nenhum problema psicológico.

“Mas Tio Billy era seu tio. Era o seu segundo pai.” – posição 204

Vemos o quão inocente são os pensamentos e os sentimentos de uma criança. Afinal, é um parente próximo, que demonstra amá-la.
E infelizmente, não foi a última lágrima que Emeline derramou. Outras vieram, cada vez piores, cada vez mais silenciosas.

“...se aquilo era amor, ela não queria ser amada por ninguém” – posição 1461

Ler uma história com essa temática tão forte nos deixa pra baixo. Na verdade, não é uma história, é um grito de socorro. É uma forma de fazer com que olhemos mais a nossa volta. Quantas "Emelines" não derramam rios de lágrimas por dia por sofrerem tais abusos?
É um livro curto, com poucas páginas, mas que, pela carga emocional que carrega, não conseguimos ler de uma vez. Aliás, acredito que estou sendo incoerente em minha resenha. Isso porque, a autora nos choca trazendo detalhes de uma monstruosidade. Ela cutuca nossa ferida expondo o que pode acontecer debaixo de nosso próprio nariz. 
Uma leitura perturbante que você precisa conhecer. E, o que não me surpreendeu, é que foi totalmente baseada numa história real.

Ano: 2015
Páginas: 81
Editora: Amazon
Nota: 4/5

Sobre a Autora:
Foto -Gabriella ReginaGabriella Regina é uma autora que não quer usar o sobrenome verdadeiro para não ser comparada com uma celebridade da música sertaneja. Escreve mais por diversão do que por obrigação, mas espera ansiosamente pelo dia em que poderá viver apenas de seus livros. Seus pais dizem que sonhar não custa nada.













Love, kisses & rockets

Crédito das Imagens:
Skoob

2 comentários:

  1. Oi, Bia!
    Aqui é a autora, e, desde já, quero agradecer pela resenha. Ter esse feedback dos leitores é sempre muito importante para mim.
    Pelas suas palavras, não sei dizer exatamente se você gostou ou não da história (com exceção da nota consideravelmente boa), mas pelo fato de ter tocado em um ponto sensível seu, no qual eu e a colaboradora destinamos tocar nos leitores, significa que fizemos o nosso trabalho da maneira correta e atingimos o que desejávamos.
    Tudo o que você mencionou bateu com as nossas expectativas, em que a história deveria sim ser perturbadora e mostrar também a visão inocente de uma criança que não sabe o que está acontecendo quando é abusada. Foi onde a minha colaboradora mais puxou a cadeira quando começamos a rascunhar os capítulos, ela sempre bateu nessa tecla comigo e disse que era de extrema importância.
    Imagino que da mesma forma que foi difícil e perturbador para você ler, saiba que também não me senti bem em escrever, tanto que passamos um ano escrevendo esse livro. A história real é da minha colaboradora, não de mim, e ver ela, uma pessoa que conheço há tantos anos, me contando detalhes tão sórdidos desse horror, foi algo que me deixou abalada por bastante tempo, o que ocasionou na demora da finalização desse livro. Foi preciso muito estômago para colocá-lo no papel.
    No mais, fiquei contente com a resenha, vimos que o esforço valeu bastante a pena, pois passamos a mensagem que desejávamos passar desde o início.
    Obrigada pelo carinho! <3


    Com amor,
    Gabi.

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabi!!
    Foi difícil ler sabendo-se que era a respeito de uma história real. Foi uma leitura perturbadora por ser tão real, tão palpável. E foi com certeza um elogio. Fazer esse trabalho, mostrar para outras pessoas a realidade da família e da vítima, foi um ato corajoso e nobre. Muitos não entendem o motivo dessa monstruosidade acontecer, eu não entendia como uma família não pudesse perceber. Parabéns pelo seu trabalho, foi uma honra ter seu comentário em minha resenha.
    Beeijos

    ResponderExcluir

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.