27 de dezembro de 2015

O Assassino - Carlie Ferrer

Sabe aquele tipo de leitura que tem a capacidade de te prender desde a primeira linha? Aquela que tem um suspense muito bem criado, com um romance perturbador e ainda, tem uma pitada de sobrenatural que deixa a trama ainda mais gostosa de ler? 
Esse livro existe, e é ele que irei resenhar hoje.

O assassino
Maria tem apenas 20 anos e teve que se mudar para uma cidadezinha bem pequena. O fato do tamanho da cidade não é lá um ponto negativo para a vida de Maria, a parte ruim disso tudo é que essa mudança se deu ao fato dela ter perdido os pais. Como ainda não havia completado 21 anos, teria de conviver com sua tia Marta.
A cidade parecia ter parado no tempo. Não havia avanços tecnológicos e nenhum indício de expectativa de crescimento. 
A vida ali não era fácil. Fofocas pareciam ser a diversão daquele povo; e não tinha tantas pessoas da idade de Maria por lá.
Seu passatempo se tornou a exploração da cidade. Ela começou a andar pela cidade toda, buscando conhecer o local e quem sabe encontrar uma forma de diversão. E foi então que encontrou uma rua abandonada. Com casas, mas sem moradores. E o mais estranho ou surpreendente, é que em tal rua existia um castelo, aparentemente também abandonado.
Ao perguntar a respeito para sua tia e demais moradores, Maria estranhou a reação: todos pareciam ter medo daquele lugar e ainda evitavam falar a respeito. Apenas a avisaram que deveria se afastar de lá.
“A Rua Londrina está abandonada por um motivo, é perigoso lá, e uma menina bonita como você não deve andar por uma rua deserta.” – posição 75
Ela logo percebeu que um grande segredo rondava aquela cidade. Curiosa e teimosa continuou visitando o local e logo descobriu que o castelo tinha sim um morador. Aliás, um belíssimo morador.
Começara a cuidar do jardim do castelo e com isso aproximou-se cada vez mais do "desconhecido". E quando as pessoas descobriram onde estava se metendo, parte do mistério foi se revelando. Assim, Maria percebeu que poderia estar a frente de um perigoso assassino.
Quanto mais sua consciência pedia para que se afastasse, mais seu coração dizia para que se aproximasse. 
Seria o estranho um assassino?
“As vezes queremos ser bons, mas simplesmente não conseguimos, quando se é assim o melhor a fazer é ficar sozinho.” – posição 780
Caramba! Que livro!!
O início me fez lembrar de “A Bela e a Fera”. A aproximação de Maria com o "desconhecido" do castelo foi muito romântica. A autora nos faz gostar desse suposto romance ao mesmo tempo em que planta um ponto de interrogação sobre a integridade do personagem.
“Ele é um ótimo mentiroso, ele sabe como mexer com a mente das pessoas, sabe como ser convincente.” – posição 6318
Os moradores da cidade temem aquela rua e mais ainda tal "desconhecido" (que todos parecem conhecer muito bem, exceto Maria e eu), e é difícil saber em qual lado ficar. A medida que descobrimos o mistério que rodeia o local, a leitura fica mais empolgante e desconfiamos mais ainda de todos os personagens. Não sabemos quem é o mocinho. Não sabemos quem tem razão.
Queremos proteger Maria ao mesmo tempo que torcemos que ela se envolva com o carinha do castelo. Ficamos torcendo para que ele seja o mocinho. Mas como acreditar em sua inocência quando ele mesmo não acredita?
“Eu sou um assassino.” – posição 2123
Não sei como descrever a leitura. Não posso defini-la como um quebra-cabeça, pois é mais complexa que isso. Tão pouco como uma montanha russa, pois até o brinquedo tem seus momentos de calmaria.
É um pulo de Bungee Jumping sem equipamento de segurança. Acho que é a definição correta. Ninguém está seguro, nem mesmo nós leitores.
“Ele não tem sentimentos, não tem lado bom é negro como... É como a morte.” – posição 5908
Amei o enredo, com certeza lerei outros livros da autora. Minha única crítica negativa é para os diálogos. Para a complexidade e inteligência do enredo esperava diálogos mais elaborados. Mas esse fato não atrapalha a leitura. Super recomendo!!

Ano:2015
Páginas: 346
Editora: Novo Romance
Nota: 5/5


Sobre a autora:
Foto -Carlie Ferrer
Carlie Ferrer é belorizontina. Leu seu primeiro livro aos seis anos de idade e desde então se apaixonou pelas palavras. Escreveu seu primeiro livro com apenas oito anos. Leitora voraz, vive no mundo da Lua, e se apaixona por cada personagem que conhece.














Love, kisses & rockets

Crédito das Imagens:
Skoob

5 comentários:

  1. UAUUUU! Estou arrepiada e emocionada com sua resenha! Nem tenho palavras para agradecer. Feliz demais e honrada que tenha gostado assim. Um beijo enorme!

    ResponderExcluir
  2. Pense em uma estória cheia de suspense,adrenalina, emoção, intrigas, amor, junte tudo isso a uma escrita perfeita , pronto você tem o livro ; O Assassino , um livro que com certeza deveria virar um filme
    Porqur vale muito a pena, se você ainda não leu , leia porque ai está um livro q vale a pena

    ResponderExcluir
  3. Parabens pela resenha....estou ainda mais anciosa para comprar o livro fisico e me apaixonar mais por este assassino....parabens Carlie mal posso esperar.

    ResponderExcluir
  4. O que tenho a dizer desse livro : Eu AMO ELE o meu favorito de todos ,foi o livro que me manteve acordada a noite toda , pelo mistério , suspenso, amor ,adrenalina...é um livro que te prende até ao fim dele ...ele é super recomendo já o li 5 vezes e não me caso ,ele ainda não existia físico e já falava para carlie que se virase fisico seria a primeira da fila a comparar ! Se existe um livro que deveria virar fisico o assassino daria um maravilhoso filme ate mesmo digno de um Oscar sem dúvida alguma .amiga do meu coração que o papai do céu te dei muito sucesso e muita saúde para continuares a escrever não 5 bem 6 livros mas uns milllll ehehehehheh te adoro querida

    ResponderExcluir

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.