27 de janeiro de 2016

Trilogia Grisha - Leigh Bardugo

Hey!

No ano passado eu terminei de ler os livros da Trilogia Grisha, e fiquei completamente apaixonada, tanto que foi um pouco complicado fazer a resenha dos livros, é muito amor envolvido, então eu resolvi fazer uma resenha tripla, afinal os acontecimentos dos livros estão interligados e não sei se conseguiria falar de um livro de cada vez, então achei essa a melhor forma de falar desse livro.

No primeiro livro da trilogia, Sombra e Ossos, somos apresentados aos personagens e ao ambiente, conhecemos a orfã Alina Starkov, que junto com seu melhor amigo vai para o exército de Ravka, lá ela é uma simples cartógrafa, que sai em uma missão na Dobra das Sombras, quando vê seu melhor amigo em perigo, algo desperta em Alina, ela é então levada para ser treinada como uma Grisha, e fazer parte do exército liderado pelo misterioso Darkling. Agora, Alina precisa aprender a viver longe de Maly, lidar com seus poderes recém descobertos, sua atração pelo Darkling e segredos que irá descobrir e que poderão mudar para sempre seu destino.


Nesse primeiro volume da trilogia, as coisas acontecem de forma um pouco lentas, a autora nos leva para um reconhecimento dos lugares e personagens, começamos a aprender os costumes do lugar novo, juntamente com Alina, e também a desvendar alguns mistérios, como os diários de Morozova que conta história de criaturas que podem ser utilizadas como amplificadores, e assim aumentar o poder de Alina. O livro permanece nesse ritmo até quase o fim, quando temos uma bela reviravolta na história, onde mais mistérios surgem e várias coisas são reveladas, gosto da forma como a autora fez isso, não é algo cansativo de ser lido e mantem um ritmo bom para o próximo livro da trilogia.
"Achei que o cervo estava me assombrando, um lembrete do meu fracasso e do preço da minha fraqueza. Mas estava errada
O cervo estava me mostrando minha força - não apenas o preço da piedade, mas o poder que ela conferia. E piedade era algo que o Darkling nunca entenderia." pág 278
Já no segundo livro, Sol e Tormenta, Alina e Maly estão refugiados em um lugar distante de Ravka, eles devem esconder suas identidades e tentam levar uma vida "normal"; mas o passado não pode ser escondido, e com as forças do Darkling cada vez maiores e mais aterrorizantes, Alina deve agora enfrentar um grande dilema, voltar para seu país e combater as forças que se abatem contra Ravka, junto com seu grande amor e um corsário  misterioso, e talvez perder seu poder de Conjuradora do Sol, ou continuar sua vida e ver tudo que um dia amou se perder nas sombras.


No segundo livro da trilogia as coisas começam a ficar mais densas na história, mais segredos são revelados, especialmente sobre os diários, os poderes começam a ficar cada vez mais fortes e toda uma trama política começa a se desenrolar. A autora soube muito bem juntar todos esses elementos novos na narrativa, tudo ficou bem fluído e encaixado perfeitamente, ao longo da leitura me pegava sempre tentando saber quem estava realmente falando a verdade, as intenções de cada um e também tentando decifrar algumas incógnitas que a autora vai deixando, porque se tem uma coisa que a Leigh Bardugo sabe fazer é revelar mistérios com um novo mistério no lugar. Geralmente os livros 2 de trilogias são para encher um pouco a "linguiça" da história, mas esse livro definitivamente não é isso, além de resolver algumas coisas e ajuda a incrementar coisas e deixar um gancho perfeito para o último livro da trilogia.
"Outro arpão encontrou seu alvo e o açoite do mar começou a cantar, um som mais amável que tudo que eu já havia escutado, um coro de vozes elevado em uma música lamuriosa e sem palavras. Não, percebi, não é uma música. O açoite do mar estava chorando, contorcendo-se e rolando nas ondas enquanto os escaleres o perseguiam, lutando para se livrar das pontas dos arpões. Lute, implorei silenciosamente. Depois que ele tiver você, ele nunca o deixará partir." pág 65
 O terceiro e último livro da trilogia, Ruína e Ascensão, Alina está fraca e se esconde para tentar recuperar suas forças, o Darkling finalmente governa toda Ravka e ela precisa forjar novas alianças e se preparar para lutar pelo seu país, e ela sabe que apenas o último dos animais de Morozova pode ajuda-la nisso, ela e seu "exército" partem então em busca do pássaro de fogo para enfim derrotar o Darkling, mas ao longo de sua jornada Alina vai descobrir mais sobre o Darkling e seu passado, e como o vínculo de ambos é ligado fortemente, e sua perspectiva sobre isso vai ser alterada drásticamente. Mas tudo tem seu preço e Alina vai descobrir que o pássaro de fogo pode custar seu futuro e de toda uma nação.


No último livro da trilogia as coisas ficam realmente tensas, é basicamente uma corrida contra o tempo para que Alina consiga se recuperar e salvar Ravka, a trama política continua tão densa quando no segundo livro e todos os segredos são finalmente revelados, e temos várias surpresas nesses segredos, algumas histórias bem tristes chegam ao conhecimento do leitor e é nesse momento que tudo passa a fazer sentido, e por mais errado que sejam as atitudes fica tudo justificado pelo passado, que pode ser uma coisa muito dolorosa. Outras coisas simplesmente surpreendem de uma forma inacreditável, a autora consegue levar muito bem o leitor e fazer com que ele saiba apenas o que ela quer e quando quer, ela não deixa nenhuma pista muito óbvia, e isso torna a leitura ainda melhor. O final é surpreendente, emocionante, triste e muito verdadeiro, não imagino um modo melhor de terminar uma trilogia que foi criada tão ricamente em detalhes e narrativa.
"Ela colocou o capuz e partiu correndo por entre as árvores.
'Yuyeh sesh', Tolya gritou atrás dela em shu.
'Ni weh sesh' ela gritou por sobre o ombro. E então se foi.
'O que aquilo significa?'
'É algo que nosso pai nos ensinou', Tolya respondeu. 'Yuyeh sesh: despreze seu coração'. Mas essa é a tradução literal. O significado real está mais para 'faça o que precisa ser feito - seja cruel se tiver de ser.'
'E a outra parte?'
'Ni weh sesh? 'Eu não tenho coração.'
Maly ergueu uma sobrancelha. 'Seu pai parece ser divertido.'

Eu tentei não dar muitos spoilers sobre os livros pois ainda pode ter muitas pessoas que não lerem a trilogia e se interessem, então eu tentei falar de um modo bem amplo com vocês, mas a história é muito mais densa do que eu mostrei, espero que consiga cativar alguns leitores a descobrir mais sobre o mundo incrível que a Leigh Bardugo criou. Eu amo muito essa trilogia, fiquei bem triste quando acabou, ela é simplesmente incrível, é mágica é envolvente, os personagens são incrivelmente bem construídos, a escrita da autora é envolvente, você não vê a hora passar enquanto lê esses livros, quem sabe eu releia eles um dia para matar um pouco da saudade do Darkling e dos outros personagens; sim eu tenho um crush eterno nele . A editora fez um ótimo trabalho gráfico nos livros, as capas são lindas, os detalhes do livro como mapas e cabeçalhos de capítulos também são muito bonitos, o cuidado que a editora teve só deixou essa trilogia ainda mais linda, tanto visualmente quanto em sua história.








ISBN: 9788582350638 | 9788582351468 | 9788582352335
Ano: 2014 | 2015
Páginas: 288 | 368 | 344
Editora: Gutenberg
Nota: 5/5

Sobre a autora
Leigh Bardugo nasceu em Jerusalém, cresceu em Los Angeles e se formou na Universidade de Yale. Mora atualmente em Hollywood, onde se entrega à paixão pelo galmour, em sua outra identidade profissional, como maquiadora artística L.B.Benson. De vez em quando, ela também canta com sua banda, a Captain Automatic. Ela foi considerada uma das seis melhores autoras estreantes de 2012 pelo comitê New Voices da American Booksellers Association, e também ganhou uma indicação ao prêmio Abraham Lincoln Award e ao Indie Next List Selection. 
Veja mais em: www.leighbardugo.com








Love,kisses & rockets
Créditos das imagens
Fotografia e edição por Amanda Prado | Fonte por DaFont

2 comentários:

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.