24 de maio de 2016

Moulin Rouge, amor em vermelho.

Hoje é dia de clássico. Um musical regado a amor e claro, muita música. Eu demorei MUITO para ver esse filme, de 2001, mas quando assisti entendi todo amor envolvido. Vamos lá?

A história se passa em 1899 e gira em torno de um jovem poeta, Christian(Ewan Mcgregor) ,que desafia a autoridade do pai ao se mudar para Montmartre, em Paris, considerado um lugar amoral, boêmio e onde todos são viciados em absinto. Lá, ele é acolhido por Toulouse-Lautrec (J ohn Leguizamo) e seus amigos, cujas vidas são centradas em Moulin Rouge, um salão de dança, um clube noturno e um bordel (mas cheio de glamour) de sexo, drogas, eletricidade e - o que é ainda mais chocante - de cancan. É então que Christian se apaixona pela mais bela cortesã do Moulin Rouge, Satine (Nicole Kidman).
Sabe aquelas histórias de amor impossíveis que nos fazem suspirar? Moulin Rouge trata exatamente disso. Ao chegar em Paris e conhecer Toulouse e sua trupe, Christian vê uma oportunidade de exibir seu talento como escritor. Aconselhado a convencer primeiro Satine e depois o dono do local, Christian fica de frente a uma mulher maravilhosa e se apaixona, claro. Já Satine, o confunde com um contador, que está disposto a investir no Moulin como teatro e na sua carreira, mas acaba se apaixonando pelo escritor. Uma confusão se instala e para "despistar", Christian diz a história que está escrevendo: exatamente a que está vivendo, um amor impossível, tendo um "marajá" no meio do caminho. A história foi inspirada em óperas, que por sua vez foram inspiradas em tragédias gregas. Claro! A principal característica das tragédias, segundo Aristóteles, são: possuir personagens de elevada condição (heróis, reis, deuses), ser contada em linguagem elevada e digna e ter um final triste, com a destruição ou loucura de um ou vários personagens sacrificados por seu orgulho ao tentar se rebelar contra as forças do destino.


Já deu para sentir como as coisas se dão né? O casal tenta manter em segredo o que sentem, para o contador continuar patrocinando o Moulin Rouge. Satine é pressionada, o contador a quer de qualquer maneira, mas ela não cede. Tenta terminar com o jovem escritor várias vezes para preservá-lo, porque rola até ameaça de morte,  mas o amor fala mais alto. Porém, há algo que ninguém, exceto seus amigos do Moulin Rouge, sabem: a dançarina está doente. Por não contar o fato, também acontecem alguns mal-entendidos, para "reforçar"  a tragédia.  A cena final foi muito bem pensada, estruturada e articulada. Onde os eventos se encontram e as revelações são feitas.


O QUE EU ACHEI:  Não sou fã de musicais, mas o trabalho do diretor Baz Luhrmann e os demais envolvidos está impecável. Não é a toa que foi indicado a vários prêmios, incluindo o Cannes, que segundo o meu namorado que faz Cinema (e nossa Mandy linda pode confirmar), é uma premiação mais válida que o Oscar. Falando em Oscar, foi o primeiro musical em 23 anos a ser indicado como melhor filme. Arrebatou alguns prêmios dos quais foi indicado. A fotografia, figurino e atuações são memoráveis. Leguizamo está cômico como Toulouse e é impossível não achar o Christian um fofo, além da química entre o casal principal. Bom, demorei mas lá vai: a TRILHA SONORA É MARAVILHOSA! Gente, o que faz um musical andar são as músicas que o compõem, e em Moulin Rouge são canções atuais nas vozes dos atores. Mesmo a história se passando em 1800 e tanto. O que dizer de "Like a Virgin" sendo cantada pelo dono do cabaré para enrolar o contador quanto ao afastamento de Satine? E a icônica Lady Marmalade, cantada por  Lil Kim, Christina Aguilera, Pink e Mya virando um dos símbolos do filme? Ao todo são quase 30 músicas e Ewan e Nicole não desapontam, soltam a voz, se entregam e emocionam.




Sem revelar mais, deixo o trailer e o clipe de Lady Marmalade para vocês sentirem vontade de sair dançando por ai. Mais do que lutar por amor, o filme fala sobre amizade, paixão pelo que se gosta (Cristian, escrever, Satine, cantar e dançar) e principalmente sobre liberdade! Espero que gostem, e quem já assistiu me conta!

Lançamento: 24 de agosto de 2001 (2h6min) 
Dirigido por: Baz Luhrmann
Com:Nicole Kidman, Ewan McGregor, John Leguizamo e mais.
Gênero: Comédia Musical , Romance
Nacionalidade:Austrália , EUA

Um comentário:

  1. Oi, Juliana! Essa é uma dívida que tenho com o cinema... Até hoje não assisti! Eu também não sou a maior fã de musicais, mas quando a música é inserida de forma a fazer parte das cenas e da história, eu gosto. Vou tentar ver no feriado.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.