2 de setembro de 2016

Quarto, Emma Donoghue

Olá pessoas, tudo bem?

Já falei sobre a adaptação desse filme para os cinemas aqui. Gostei muito quando assisti, virou até favorito, mas eu ainda tinha aquela vontade de ler o livro e saber se estava perdendo alguma coisa muito importante ou essencial. 

Acontece que eu não estava completamente errada, a adaptação foi muito boa, excelente eu diria. Porém nenhuma adaptação do mundo vai substituir as emoções, a tensão e o carinho que o leitor sente ao mergulhar na estória do livro ♥ 


O livro é contado do ponto de vista do Jack. Ele é um menino de 5 anos que tem o quarto em que vive como único mundo que ele conhece. Para ele seu Quarto é seu universo, é onde ele nasceu, cresceu e onde viveu por toda sua existência junto com a sua mãe. É no quarto que ele teve todo o seu aprendizado até então, onde lê, come, dorme e brinca. Jack é um garotinho ingênuo que acredita que sua mãe sabe de tudo, sempre. Apesar de viver entre quatro paredes ele é um garoto feliz, dentro da sua realidade.

A realidade da sua mãe é um pouco diferente, o que Jack não sabe é sua mãe foi sequestrada há sete anos pelo Velho Nick e desde então ele a mantém encarcerada dentro desse quarto. Joy ou Ma, tenta a todo custo proteger Jack, ela não o deixa perceber que tem algo errado e apesar de tudo, não tem intenção de fugir até que o desespero começa a bater e a voz da esperança fala em seu ouvido. Ma decide que é hora de tentar escapar, é hora de mostrar todo um mundo novo para Jack. Entretanto, a fuga pode tanto trazer todo um mundo novo assim como muitos problemas e riscos, tanto para ela que há muito desconhece o mundo lá fora e também para Jack, que começa a ser uma nova era cheia de descobertas.
"No mundo, eu noto que as pessoas vivem quase sempre tensas e não têm tempo. Até a Vovó sempre diz isso, mas ela e o Vovô não têm emprego, então eu não sei como as pessoas empregadas fazem o trabalho e toda a vida também. No Quarto, eu e a Mãe tínhamos tempo para tudo. Acho que o tempo é espalhado muito fino em cima do mundo todo, feito manteiga, nas ruas e nas casas e nas pracinhas e nas lojas, por isso só tem um tiquinho de tempo espalhado em cada lugar, e aí todo mundo tem que correr pro pedaço seguinte."
O livro é dividido em quarto partes e é mostrado as fases que eles passam dentro e fora do quarto. Como é a vida e o cotidiano deles, com as diversas atividades e dificuldades em todo um munto de faz-de-conta. O momento que Jack descobre um pouco sobre as verdades do mundo, que nem tudo é apenas televisão. A morte metafórica de uma vida de desgosto e o nascimento de uma nova vida, assim como a decisão de viver aquela nova vida.



A narração do livro mostra uma situação real e que de certa forma, assusta muito o leitor. Ao passo que Jack vai contando sobre seu cotidiano e suas atividades, o leitor vai se sentindo apriosionado dentro daquele Quarto. O sofrimento de uma mãe ao tentar proteger seu filho das mãos de uma pessoa inscontante e que podia prejudicá-lo a qualquer momento, assim como a dificuldade de criá-lo, educá-lo e proteger Jack de todo o trauma que ela passava. 
“É esquisito ter uma coisa que é minha e não é da Mãe. O resto tudo é de nós dois. Acho que meu corpo é meu, e as ideias que acontecem na minha cabeça. Mas as minhas células são feitas de células dela, quer dizer que eu sou meio dela. E também, quando eu digo pra ela o que estou pensando e ela diz pra mim o que está pensando, nossas ideias de cada um pulam na cabeça do outro, que nem lápis de cera azul em cima do amarelo, que dá verde.”
O livro não trás detalhes sórdidos baseados em fatos hediondos, talvez por isso ele seja voltado mais para a emoção abusando da narração na voz da criança de cinco anos. Ao ler, é possível se emocionar e questionar sobre diversas situações. Como é possível que esse tipo de coisa possa existir? Como é possível o ser humano ser tão sádico? Enfim... 



Até a terceira parte do livro a leitura fluiu que é uma beleza, porém a partir daí deu uma desanimada. Não que tenha sido ruim, porém parece que aquela angústia pela sobrevivência foi embora e o que restou são as consequências. E isso é narrado de forma devagar e um pouco mais "cuidadosa" eu diria.
"Quando eu tinha quatro anos, eu achava que tudo na TV era só TV, aí eu fiz cinco e a Mãe desdizeu que uma porção de coisas eram só imagens do real e falou que o Lá Fora era totalmente real. Agora eu estou no Lá Fora, mas acontece que um monte dele não tem nada de real."
Apesar disso a maestria na narração de Emma Donoghue é cativante, com personagens bem construídos e cheios de personalidade. É impossível não se apaixonar por Jack ao encarar o novo mundo ou mesmo se preocupar com a angústia de sua mãe. É um livro com uma carga emocional profunda e cheio de reflexões.  Vale muito a pena a leitura!

ISBN-13: 9788576861317
ISBN-10: 8576861313
Ano: 2011
Páginas: 350
Editora: Verus



Créditos das imagens
Edição e imagens: Rosana Carlos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.