4 de janeiro de 2017

O Palácio da Meia-Noite - Carlos Ruiz Zafón

Hey!

Hoje eu trouxe aqui para o blog mais uma resenha de um livro do Zafón, esse é o segundo volume da Trilogia da Névoa, a trilogia infanto juvenil que ele escreveu nos anos 90.

Ben e Sheere são irmãos gêmeos cujos caminhos se separaram logo após o nascimento: ele passou a infância num orfanato, enquanto ela seguiu uma vida errante junto à avó, Aryami Bosé. Os dois se reencontram quando estão prestes a fazer 16 anos: juntos precisam escapar das garras de Jawahal, um espírito diabólico. Os irmãos contarão com a ajuda da Chowbar Society, o grupo formado por Ben e outros seis órfãos que se reúnem no Palácio da Meia-Noite, e que prometeram ajudar e proteger uns aos outros em qualquer situação. Velhas histórias de família, há muito esquecidas, levam os adolescentes até as ruínas da velha estação ferroviária de Jheeter's Gate, onde terão de prestar contas com o passado e enfrentar o temível Pássaro de Fogo.


Mais uma vez Zafón nos trás uma aventura cheia de mistérios, maldições, espíritos vingativos,  laços de amizade fortes e fraternidade, o cenário é Calcutá na Índia, onde os personagens cresceram nas ruas aprendendo a levar a vida da melhor forma que as condições possibilitavam, onde aprenderam o que era família entre os amigos e uma sociedade secreta que se reunia numa antiga mansão em ruínas, que guarda mais segredos que ele podem imaginar.
"Todos que a conheciam gostavam dela tanto quanto a temiam. Não havia uma única alma nas ruas do Norte da cidade que não tivesse ouvido falar dela e de seus antepassados em algum momento de sua vida. Entre as pessoas daquele lugar, sua presença podia ser comparada à de um espírito: poderosa e invisível" pág 20
A atmosfera do livro todo é muito densa do começo ao fim, a ambientação que Zafón faz dos cenários é muito rica em detalhes, os personagens são bem construídos e bem sólidos em suas características, e mesmo com pouco mais de 15 anos, todos são marcados de alguma forma pela vida e experiências dos anos que passaram numa cidade onde o tráfico de crianças é alto, assim como outro tipo de criminalidades.
"O homem parou alguns segundos para recuperar o fôlego e contemplar a silhueta da estação Jheeter's Gate, que se perdia inexoravelmente na escuridão que cobria a outra margem do rio. Quanto mais o barco mergulhava no breu, mais a estação de aço e vidro se confundia com os outros edifícios, também ancorados em esplendores esquecidos. Seus olhos vagaram por aquela selva de mausoléus de mármore escurecido por décadas de abandono e por suas paredes nuas, cuja pele ocre, azul e dourada tinha sido arrancada pela fúria dos ventos de monção, que apagaram tudo como se fosse aquarelas desbotando na água de um tanque." pág 14
A leitura desse livro é muito fluida, cheia de surpresas e reviravoltas, os personagens são incríveis e conquistam demais o público, e o vilão é muito bem construído, com um final surpreendente e muito bem fechado, temos mais uma história incrível de aventura, mistério e de boa qualidade, de um autor que é extremamente talentoso.




ISBN: 9788581051598
Ano: 2013
Páginas: 272
Editora: Suma de Letras
Nota: 5/5

Love,kisses & rockets
Créditos das imagens
Fotografia e edição por Amanda Prado | Fontes por DaFont

6 comentários:

  1. Gosto muito dos livros que tem leitura fluida, assim consigo interagir imediatamente com a obra e compreendo tudo que se passa! Não conhecia essa história, mas já quero ler.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcio,
      Eu também gosto muito de livros que a leitura flui e me prende, eu fico muito frustrada quando quero muito ler um livro e ele é meio maçante!!
      Eu AMO os livros do Zafón, espero que você possa fazer a leitura dos livros dele um dia e gostar também!!
      Beijos ♥

      Excluir
  2. Já falei que eu gosto desse autor? Acho que vale dizer de novo, hahaha.
    Gosto muito da forma como ele nos cativa ao narrar a história,, o fato de sempre conter um mistério inimaginável e surpreendente. O Palácio da Meia Noite não foi o meu livro favorito dele, mas é um ótimo livro *-*
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca é demais falar que amamos o Zafón, ele é maravilhoso *---*
      Ele tem um jeito incrível de escrever, dos livros que li não teve um que falei "Poxa não gostei desse livro" Todos eles tem um cantinho especial no meu coração, para mim O Palácio da Meia-Noite mostrou como ele cresceu desde O Príncipe da Névoa, da pra ver isso muito bem na leitura cronlógica dos três livros da Trilogia da Névoa!! Enfim, Zafón significa puro amor, apenas ♥
      Beijos ♥

      Excluir
  3. Senti a mesma coisa quando li. Me confundi em alguns momentos, mas no final já estava encantada com a genialidade da escrita do autor. (heheh) Ele é muito fantástico! sua resenha ficou linda! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Van
      kkkkkk é bem isso mesmo, de todos os livros que já li dele, da pra ver que o Zafón vai mexer com a cabeça do leitor até dizer chega, e depois dar uma obra maravilhosa!!
      Obrigada!
      Beijos ♥

      Excluir

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.