21 de março de 2017

Amor Amargo, Jennifer Brown

Título: Amor Amargo/ Título Original: Bitter End
Autora: Jennifer Brown
I.S.B.N: 9788582353066
Editora: Gutenberg
Gênero: Literatura Estrangeira / Drama /  Romance
Páginas: 256
Skoob
Onde Comprar


Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado. Até Cole aparecer. Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto está ali, querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade…



Oi gente! Li esse em ebook para um blog do qual sou colaboradora e despertou tantos sentimentos que vocês não imaginam. A sinopse não dá conta de nos avisar o que vem pela frente, e isso em certa parte até foi bom, no meu caso. No entanto, aquelas que acham que "Amor Amargo" é mais um romance clichê de Literatura estrangeira estão muito enganados. A história é de Alex e seus amigos, Bethany e Zach. Planejaram uma viagem ao colorado que significava muito para a garota. Seu pai é distante desde a morte da sua mãe e as irmãs não são unidas, o que fez com que ela se agarrasse a ideia dessa viagem. Quando surge Cole, aluno novo. Pois bem, eles se conhecem porque ela tem que dar aulas de apoio para ele (o que fazia antes com Zach) e de cara já surge algo entre eles... ele é romântico, fofo, decidido e em breve se tornará popular, afinal é do time de basquete da escolaMas ai é que está a grande reviravolta: claramente ele esconde algo.

Ele piscou para mim, e, de repente, fui tomada por uma onda de ousadia. É para isso que vivemos, não é? falei para mim mesma. Para nos arriscar. Para encarar nossos medos. Não para ser como papai - uma pessoa vazia que voa de um lado para o outro ao sabor do vento, sem lugar algum para pousar. Vivemos para ficar no caminho de alguém vindo a toda velocidade. Para ficar no topo de um vertedouro. Para pular portões com placas de perigo. (Pág. 59)

Vemos então, um relacionamento fofo se desenvolver. Alex compartilha suas poesias secretas com o garoto, confissões e piadas internas, porém o romantismo e ciúme de Cole têm a mesma medida. As coisas começam a sair do controle, Zach não gosta dele e em um dado momento ele trata muito mal Bethany, o que deixa Alex dividida. Ela passa a se distanciar dos amigos para estar mais com o namorado. Se por um lado os amigos não conseguem compreender o garoto, ele tampouco demonstra que pretende aceitá-los, e começa a se tornar agressivo. Nos levando ao ponto principal do romance: a violência doméstica.
Ele soltou o meu pescoço e eu desabei no chão, cobrindo o rosto com as mãos enquanto soluçava. Amedrontada demais para correr . Pasma demais para continuar em pé. Machucada demais para ser corajosa, revoltada ou qualquer outra coisa além de arrasada. (Pág. 168)

"Só de pensar, fiquei com o estômago embrulhado e comecei a me perguntar se talvez a história de estar doente não tinha uma pontinha de verdade. Desculpa, papai, eu menti sobre estar gripada. Na verdade, a doença que tenho é a mesma que você: a doença de ficar andando de um lado para o outro como um cachorrinho maltratado, correndo atrás de alguém que é mais louco que uma cabra." (Pág. 50)
Narrado em primeira pessoa, conseguimos ver de perto toda a angústia de Alex. Ao mesmo tempo que ela sabe que ninguém deve se submeter a agressões, o que sente por Cole aliados a suas desculpas através de flores a prendem cada vez mais. Como se afastou dos amigos, não dá para ter alguém para confiar e desabafar, já que sua família é ausente e até a Georgia, chefe da lanchonete que ela trabalha é ocupada: tem uma filha especial. 

Resultado de imagem para amor amargo capa

Não quero entregar muito, mas Jennifer Brown conseguiu mexer com minhas emoções. Em parte por causa da história e em parte pela forma que ela conduziu. Apesar de apegada no início, depois me vi desmotivada e explico: algumas situações se repetem demais e cansam. Tudo bem que temos a visão da Alex, mas muitas coisas não precisavam estar na narrativa, isso só nos "castigou" mais. Veja bem: a protagonista sabe que está passando por algo, repete as mesmas ações e não conta a ninguém... Por outro lado, toda a "enrolação" foi o que me fez aguentar até o final e acelerar a leitura. Tenho o meu lado romântica confesso, então esperava que tudo desse certo para Alex e Cole, mas como disse a obra despertou sentimentos em mim porque assim como a menina, me senti dividida. Alguém assim merece perdão? Dá para retomar um relacionamento? Que outras coisas pode causar, danos ftísicos e mentais? Só lendo para descobrir!

A capa é linda e a diagramação do livro muito boa. Mas, para quem tem estômago. Porque a obra é beeeem realista!


PS: A autora fez Psicologia e ao final, ela dá uma explicação sobre o tema "violência doméstica". Há ainda perguntas e respostas sobre o tema, que pode ajudar muitas pessoas que não sabem/ou vivem nessa situação.

PS2: Quando digo que as situações se repetem, estou só falando do ritmo da narrativa mesmo. Porque sei que, quem passa por isso realmente se vê presa e não consegue encontrar um refúgio.

Besos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.