15 de janeiro de 2018

Dark


Hey!
No fim do ano passado a Netflix mais uma vez surpreendeu a todos com mais uma série original incrível, de tirar o fôlego e de deixar a cabeça de todo mundo completamente confusa, e claro eu não poderia deixar de vir aqui falar sobre essa produção maravilhosa, tentando é claro não dar nenhum spoiler.

Uma pequena cidade da Alemanha vê sua pacata rotina mudar drasticamente com o sumiço de um jovem, levando os moradores desenterrarem segredos há muito esquecidos, remexer feridas que jamais cicatrizaram, e trazer à tona mistérios que podem ir além da compreensão de qualquer um deles.


A primeira coisa que me chamou atenção nessa série foi a fotografia, as locações são lindas demais, os enquadramentos fazem jus a beleza do lugar onde se passa a história, as cores são bem trabalhadas e ajudam a dar um clima mais intenso da história, algo um pouco sombrio e melancólico. Por se tratar de uma cidade pequena, todos os personagens envolvidos na história se conhecem ou são relacionados uns com os outros, amigos ou família e isso vai sendo mostrado ao longo de todos os 10 episódios da série.

A série vai desenrolando todos os mistérios da trama num ritmo próprio e diferente do que estamos acostumados com outras séries, vários dos mistérios da trama são mostrados, fazendo com que o espectador comece a desenvolver sua própria teoria sobre o que está acontecendo, o que é um dos diferenciais da série, é claro, ela possui vários ganchos e perguntas não respondidas, e mesmo respondendo alguns dos mistérios isso apenas instiga o espectador a formular teorias, tentar entender
tudo que se passa na história. 

Outro diferencial da história se trata da viagem no tempo, paradoxos e linhas do tempo, conceitos que são elaborados de forma bem diferentes nessa série, costumamos ver em filmes/séries o conceito de que o futuro não interfere no passado, ou que os paradoxos criam linhas do tempo diferentes; mas não em Dark, na série o futuro influencia o passado, e não há linhas do tempo separadas, tudo que acontece no passado, presente e futuro, pertence a mesma linha do tempo; e isso é muito legal, pois além de dar uma riqueza maior para a história, deixa ela diferente e faz o espectador não saber o que esperar por nada ser o que já foi visto em outras produções.

Dark ainda conta com um elenco bem talentoso, que dá vida aos personagens muito bem, com personalidades diversas e bem profundos e intensos, assim como a história e a ambientação também são bem intensos, formando um combo perfeito para fazer da série uma das minhas favoritas.

A história é muito boa e tem um bom desenvolvimento para a primeira temporada, conseguimos conhecer bem os personagens principais, mas ainda sim, saber que para a próxima temporada ainda teremos muitos outros mistérios a serem desvendados. Toda a parte mitológica, científica e até religiosa da série é bem abordada, e casa perfeitamente com a história, além de fatos históricos que deixam tudo mais interessante, e acabam se transformando em elementos bem importantes e marcantes para a história, acho que toda essa mistura foi bem elaborada e está sendo muito bem desenrolada pelos criadores da série.

Estou ansiosa e bem curiosa para a próxima temporada, que foi confirmada pela Netflix, é uma série intrigante e que prende o espectador, talvez não seja uma série para qualquer um, mas vale a pena assistir o primeiro episódio e descobrir um pouco sobre a série, e quem sabe, ser fisgado por essa história que é de tirar o fôlego e deixar a cabeça completamente crazy.











Love,kisses & rockets
Créditos das imagens
Google e Tumblr

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.