Em Livros Resenha

Capitães da Areia - Jorge Amado


Hey!


Hoje eu finalmente vou fazer a resenha de um dos livros que eu li na Maratona Literária de Outono 2018, ele foi o primeiro livro da maratona que eu li e foi o que mais me deixou triste, por ter uma história muito forte, escrita com muitos detalhes pelo autor.

O livro vai narrar a história dos Capitães da Areia, um grupo de crianças orfãs que lutam diariamente para sobreviver na Bahia, roubando e fazendo todo tipo de serviço sujo para poderem se sustentar de alguma forma.
"[...] Pedro Bala nada resolvia sem o consultar e várias vezes foi a imaginação do Professor que criou os melhores planos de roubo. Ninguém sabia, no entanto, que um dia, anos passados, seria ele quem haveria de contar em quadros que assombrariam o país a história daquelas vidas e muitas outras histórias de homens lutadores e sofredores.[...]" pág 24
Eu não vou me focar muito em contar sobre a história do livro, afinal eu devo ser o último ser humano que leu ele, mas sim no que esse livro representou para mim, eu procrastinei muito para fazer a leitura desse livro, minha mãe sempre me recomendava ele, e eu sempre deixava para depois, e ai na MLO 2018 eu resolvi dar uma chance a essa leitura, e não me arrependi nem um pouco, apesar de ser um livro com uma história bem triste, é também muito bonito, especialmente ver como as crianças formam de algum jeito uma família, se protegendo e cuidando uns dos outros. 
"Depois vai o Sem-Pernas. Vai calado, uma estranha comoção o possui. Vai como um crente para uma missa, um amanta para o seio da mulher amada, um suicida para a morte. Vai pálido e coxeia. Monta um cavalo azul que tem estrelas pintadas no lombo de madeira. Os lábios estão apertados, seus ouvidos não ouvem a música da pianola. Só vê as luzes que giram com ele e prende em si a certeza de que está num carrossel, girando num cavalo como todos aqueles meninos que têm pai e mãe, e uma casa e quem os beije e quem os ame. Pensa que é um deles e fecha os olhos para guardar melhor esta certeza. Já não vê os soldados que o surraram, o homem de colete que ria. Volta Seca os matou na sua corrida. O Sem-Pernas vai teso no seu cavalo. É como se corresse sobre o mar para as estrelas, na mais maravilhosa viagem do mundo. Uma viagem como o Professor nunca leu nem inventou. Seu coração bate tanto, tanto, que ele o aperta com a mão." pág 62
 A escrita do autor é muito boa, a forma como ele descreve os lugares e os personagens, cada um com sua própria história e demônios interiores, é muito boa, ele não poupa palavras para contar de forma bem realista a vida desses jovens orfãos, como cada um traça seu próprio destino ao longo de toda a história, com perdas, amores, tristezas e alegrias que são pequenas, mas tão significativas para cada um deles.

Eu me apaixonei por esse livro, ri, chorei e me apeguei aos personagens, torci por seus futuros, mesmo sabendo que muitos deles não teriam algo muito feliz o que esperar, todo o enredo é muito bom e tocante, não sei se teria gostado do livro tanto quanto gostei, se tivesse lido antes, mas acho que a leitura dele veio em boa hora, é um livro que vai ficar marcado para sempre em minha alma, e com certeza merece uma releitura daqui algum tempo.

"O viva apertou o coração do menino. Olhou para o trapiche. Não era como um quadro sem moldura. Era como a moldura de inúmeros quadros. Como quadros de uma fita de cinema. Vidas de luta e de coragem. De miséria também. Uma vontade de ficar. Mas que adiantava ficar? Se fosse, poderia ser de melhor ajuda. Mostraria aquelas vidas... Apertam sua mão, o abraçam. Volta Seca está triste, tão triste como se tivesse morrido um cangaceiro do grupo de Lampião." pág 219
ISBN: 9788501005304
Ano: 1996
Páginas: 256
Editora: Record
Nota: 5/5

Love,kisses & rockets
Créditos das imagens
Fotografia e edição por Amanda Prado | Fontes por DaFont

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos e ajudam no feedback do blog ♥
Comentário com conteúdo de baixo calão ou preconceituoso, serão excluídos.